David Wineland se diz “espantado” com Nobel de Física

O americano David Wineland, que recebeu o Nobel de Física de 2012 ao lado do francês Serge Haroche, se declarou nesta terça-feira “espantado” com o prêmio, mas não totalmente surpreso com a distinção, que poderia ter ido para muitos outros físicos.

“A maior parte dos pesquisadores sabe que seu nome é citado e, neste sentido, não foi uma surpresa total, mas o Nobel poderia ter sido entregue a muitos outros” físicos, declarou Wineland em entrevista à AFP.

“Fiquei espantado com o que ocorreu”, admitiu o físico, 68 anos, reconhecido pela academia sueca por seu trabalho de ótica quântica que poderá revolucionar a potência de cálculo dos computadores e criar relógios de precisão extrema, com grande aplicação para a navegação por satélite.

Wineland, que trabalha desde 1975 no Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia, órgão de pesquisa do governo americano, revelou que teve uma conversa rápida, por telefone, com Serge Haroche, do Collège de France.

O físico lembrou que é amigo de Haroche há muitos anos e que geralmente discutem seus respectivos trabalhos. “Algo bom é que nossos sistemas (de pesquisa) são, em muitos sentidos, complementares e jamais fomos concorrentes diretos”. “Podemos abordar um problema similar, mas em um contexto diferente”.

“Ainda estamos longe de um computador quântico útil, mas acredito que somos muitos os que acreditam em sua aparição no longo prazo”, declarou. “Não estou certo de que isto ocorrerá na próxima década, mas acabaremos por aplicar princípios quânticos para criar um computador com aplicação prática”.

“Isto será algo importante. Atualmente, diante de numerosos problemas na física e em outras áreas científicas, estamos limitados pela potência de cálculo dos computadores convencionais”, destacou Wineland.

Diante do potencial do computador quântico, a pesquisa recebe uma verba significativa do governo americano. “Estamos atualmente em uma posição bastante confortável”, admitiu o físico em relação ao contexto de restrições orçamentárias.

Wineland, que recebeu a notícia do prêmio ao ser despertado por sua mulher às 03h30 desta terça-feira, concluiu a entrevista lembrando que “muitos pesquisadores trabalham neste campo” nos Estados Unidos e no resto do mundo.

O nome de Wineland está associado a uma longa lista de avanços técnicos, como a utilização de lasers para esfriar os íons perto de zero absoluto (-273,15 ºC), uma experiência realizada pela primeira vez em 1978, no âmbito de testes de laboratório sobre as teorias quânticas.

Doutor em física pela prestigiada Universidade de Harvard, Wineland fazia parte da equipe de cientistas que isolaram, pela primeira vez, um elétron em 1973 e que passaram a ser os pais da informática quântica.

Os trabalhos de Wineland já foram recompensados em várias ocasiões pela Sociedade Americana de Física, ganharam a Medalha Nacional das Ciências em 2008 e, dois anos mais tarde, receberam a medalha Benjamin Franklin no domínio da física.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Postagens relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *