Astrônomos ficam surpresos com descoberta em ‘berçário’ estelar

Nebulosa de Órion/foto internet
Nebulosa de Órion/foto internet

Astrônomos ficaram surpresos ao encontrar estrelas de três idades diferentes em um “berçário” estelar na Via Láctea, pondo em questão o consenso científico sobre como as estrelas se formam.

O Very Large Telescope do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, identificou três grupos distintos de estrelas bebê na nebulosa de Órion – a “fábrica” de estrelas mais próxima da Terra -, informou uma equipe de cientistas nesta quarta-feira (26/7).
“Olhar para os dados pela primeira vez foi um daqueles momentos ‘uau!’ que ocorrem apenas uma ou duas vezes na vida de um astrônomo”, disse em um comunicado o astrônomo do ESO Giacomo Beccari.
As imagens revelam “sem dúvida que estamos vendo três populações distintas de estrelas nas partes centrais de Orion”, acrescentou.
Anteriormente, acreditava-se que todas as estrelas em uma jovem nebulosa se formavam simultaneamente. Agora, parece que o nascimento das estrelas ocorre em irrupções, “e mais rapidamente do que se pensava”, disse a equipe.
Com base no brilho e na cor das estrelas na nebulosa de Órion, a equipe determinou que três grupos diferentes de estrelas nasceram dentro de um período de três milhões de anos.
As nebulosas são nuvens maciças de gás e poeira onde as estrelas se originam. A mais conhecida é a nebulosa de Orion, a 1.350 anos-luz da Terra.
Ela é visível a olho nu como o ponto mais brilhante ao redor do “cinturão” da constelação de Órion.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Postagens relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *