Aconteceu em Brasília a 4ª Conferência Ciência e Fé promovida pelo Instituto Hayah

Nos dias 19 e 20 de maio aconteceu a 4ª Conferência Ciência e Fé promovida pelo Instituto Hayah. O evento aconteceu na Embaixada Sara Nossa Terra, em Brasília e contou com a palestra do professor e rabino Gerald Schroeder que explicou sobre os fenômenos por trás das 10 pragas do Egito. “O faraó teve o livre arbítrio, a livre escolha de parar as pragas,  e é assim também que Deus fala conosco todos os dias. O ponto chave é reconhecermos as mensagens de Deus e agirmos”, disse.

No sábado, 20, o primeiro conferencista do dia foi o professor Antônio Delson que falou sobre o futuro da humanidade, discussões, motivações, poder e conflitos que permeiam o tema. “Quem vai ditar as regras: a ciência ou a fé?”, perguntou dando o tom da palestra. “A ciência e tecnologia também são instrumentos de bênção para a humanidade. Deus nos deu isso como um bem para nós. A ciência é ruim quando ela promove o mal. A fé e a ciência podem andar juntas”, explicou.

Logo após, Bispo Rodovalho conduziu o lançamento do seu novo livro em co-autoria com o rabino Gerald Schröeder, Comentários do livro de Gênesis – Explicação dos fenômenos científicos à luz do hebraico original e da cosmologia moderna. Logo em seguida, Gerald deu sua palestra sobre a comprovação científica sobre os fenômenos bíblicos.  “Das pragas do Egito até a criação dos dinossauros, tudo isso esta relatado na Bíblia, mas é preciso um cuidado na leitura e na tradução utilizada das escrituras sagradas”.

Durante o período da tarde o professor Ricardo Sayeg falou sobre a teoria quântica e o direito. “Minha única segurança é ser cristão”, afirmou ao começar sua pregação. “Ser cristão não é religiosidade é estilo de vida, é ser diferente por conta daquilo que a gente acredita, e isso não desqualifica a ciência que a gente realiza. A ciência é a lógica do universo que foi estabelecida pelo nosso criador.”

Bispo Robson Rodovalho, que é Phd em Física Quântica, encerrou o evento com o tema o efeito antrópico ou os milagres por trás da vida. Com a pergunta de Leibiniz “Por que existe algo no lugar do nada?” deu início a ministração e afirmou que existem constantes onde há coincidências para fazer com que aquilo que temos exista. “No universo subatômico não existe caos e efeito. Caos cria mais caos, inteligência pode se quiser criar caos, mas não o contrário. Cada antipartícula que temos que é criada tem uma matéria capaz de voltar ao início e zerá-la. Nós temos um universo material, nele foi introduzido mais matéria que antimatéria. A matéria comum é feita de átomos, a antimatéria tem a mesma massa, mas com uma carga oposta”.

Confira fotos:

Crédito das fotos: Ronaldo Caldas

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email