Pesquisadores afirmam que a água é mais velha que o sol

Em um trabalho divulgado na edição desta semana da revista americana Science, um grupo internacional de pesquisadores defende que uma fração da água da terra teria surgido antes da formação do Sol. De acordo com os cientistas, a descoberta aumenta as chances de que os exoplanetas (os que estão fora do Sistema Solar) também possam ter água em sua composição. Dessa forma, as chances de que eles também sejam habitáveis aumentam consideravelmente.

Para analisar se a água da Terra teria surgido antes da formação do Sol, os cientistas utilizaram como base a composição da água interestelar (que existia antes da formação do Sistema Solar) e que possui uma grande quantidade de deutério – átomo de hidrogênio mais pesado.

Para comparar a composição dessa água interestelar e do gelo antigo da Terra, os pesquisadores simularam em um modelo computacional um sistema de formação do Sistema Solar (uma nuvem de gás e poeira onde se formaram os planetas). Depois, analisaram em que a radiação de uma estrela como o Sol modificaria a formação de gelo.

Ao comparar a composição do gelo antigo da Terra com o modelo computacional, eles constataram que a água do planeta possuía muito mais deutério do que imaginavam. De acordo com os estudiosos, os níveis altos de deutério no gelo da Terra são a razão pela qual se justifica a presença das substâncias interestelares na formação da água do planeta. “Nossos resultados mostram que uma fração significativa de água do nosso Sistema Solar, o ingrediente mais fundamental para promover a vida, é mais velha do que o Sol”, destaca Ilsedore Cleeves, estudante de doutorado na Universidade de Michigan e autor principal do artigo, em um comunicado à imprensa.

Os cientistas acreditam que a confirmação de que a Terra possui em sua parte origem interestelar pode trazer esperanças de que os exoplanetas também possam abrigar água. “Esses resultados apontam que parte da água do Sistema Solar deve ter sido herdada do ambiente antes do nascimento do Sol e, portanto, são anteriores a ele. Se a formação do nosso Sistema Solar era típica, isso implica que a água é um ingrediente comum durante a formação de todos os planetários”, explica Cleeves.

Para os cientistas, a descoberta aumenta as esperanças de que outros planetas também possam ser considerados como habitáveis. “Até o momento, o Satélite Kepler detectou cerca de 1 mil planetas extrassolares confirmados.  A ampla disponibilidade de água durante o processo de formação planetária coloca uma perspectiva promissora sobre a prevalência da vida em toda a galáxia”, acredita Cleeves.

Nenhum comentário.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.