junho 30, 2017

Nenhum comentário

Por que tanta gente ainda tem dúvidas sobre a veracidade da Bíblia?

Muitas pessoas ainda têm duvida quanto a veracidade da Bíblia Sagrada. Seria ela uma uma farsa ou uma revelação de Deus? E este é um dos temas mais importantes do cristianismo, talvez apenas menos importante que a ressurreição do Senhor Jesus.

Creio que os homens passam por situações sérias de definições do seu destino. Em alguns momentos de nossa vida precisamos tomar algumas decisões que têm o poder de mudar completamente nosso destino, nossa família, portanto devemos rever a maneira como vamos construir nossa sociedade, famílias, cultura etc.

Uma das decisões mais importantes na vida de um homem é se ele crê ou não quanto à Bíblia ser uma revelação de Deus ou uma farsa. Tenho encontrado muitas pessoas que não acreditam na veracidade da Bíblia Sagrada, acham que é uma montagem, um engano, um livro muito bem preparado e trabalhado pela igreja ao longo dos séculos para convencer os homens, aprisionar suas almas, a fim de manipulá-las, e mantê-las debaixo de sua influência.

Mas decidir se a Bíblia é mesmo uma revelação divina de Deus, ou uma farsa, muda completamente a sua história, e o seu destino. Primeiro porque se a Bíblia é realmente a Palavra de Deus, então nós podemos ter a segurança de que ela traz para nós todo edifício espiritual, moral, de todos os bons princípios. Se por outro lado ela é uma farsa, apenas um meio que a religião cristã utiliza para tentar imprimir seus valores na sociedade, manipulando as pessoas, então precisa ser realmente esquecida e colocada de lado.

Não se deve aceitar a Bíblia ora como algo humano, ora como algo divino. Ou a Bíblia é realmente uma revelação verdadeira, e não tem contradição, ou é uma farsa. E, se ela é uma farsa, é uma mentira, um engano, estamos apenas anestesiando nossa consciência para suportarmos a dor dessa existência. Em qual lado você quer estar?

junho 27, 2017

Nenhum comentário

As imagens geram conceitos que geram convicções

Nós somos seres visuais em nossa essência. Isso significa que é pela visualização que entramos em contato com o mundo e formamos imagens em nosso cérebro. Quando olhamos uma paisagem, ou quando vemos uma imagem em movimento, nosso cérebro processa até quatro bilhões de informações captadas e transmitidas pelos nossos olhos. Essas informações viram imagens que correspondem aos objetos que se encontram no mundo exterior.

Imagens geram conceitos, que geram convicções. Afirmamos que existe algo “lá fora” no mundo exterior porque suas imagens estão sendo captadas pelos nossos olhos, através do reflexo da luz, por seus diferentes comprimentos de onda. Ou seja, em nossos cérebros não existe uma realidade, mas apenas uma projeção do que está no mundo de fora de nós. Essas imagens são registradas e, posteriormente, usamos quase instintivamente os quadros que foram registrados mais do que a verdadeira projeção atual daquele quadro. É isto que explica por que passamos em uma avenida centenas de vezes e encontramos uma placa de determinada empresa e depois de anos, se ela for retirada, nós continuaremos a enxergá-la. Ela está gravada em nosso inconsciente. Todas as vezes em que olharmos para aquele prédio, veremos a placa no conjunto. Nosso cérebro não analisa os detalhes, mas o conjunto que já está em nosso inconsciente, economizando inclusive energia para novos registros.

O prêmio Nobel de Economia de 2002, o psicólogo Daniel Kahneman, defendeu a tese de que “as pessoas têm percepções distorcidas de como as coisas são, uma vez que o cérebro humano é contaminado por expectativas e percepções irrealistas” (Ferraz, 2013, p.18). Nós vemos o mundo pelos filtros destes sistemas que compõem nossos circuitos, e isso adultera a análise que fazemos da realidade, diferenciando-a da precisão pontual exata. Por isso é tão importante demonstrarmos nossos argumentos por meio de quadros visuais. E como a sabedoria popular afirma, uma imagem corresponde a mil palavras.

 

junho 23, 2017

Nenhum comentário

Cientistas chineses realizam teletransporte com sucesso

Os pesquisadores, liderados pelo físico Jian-Wei Pan, usaram o satélite Micius, lançado em agosto passado e orbitando a 100 km da Terra, para enviar partículas quânticas emaranhadas. As partículas foram enviadas do satélite para estações terrestres a 1.200 quilômetros de distância, quebrando o recorde mundial anterior.

O processo de emaranhamento envolve a colocação de objetos no limbo peculiar da superposição quântica, em que as propriedades de um objeto ocupam múltiplos estados ao mesmo tempo. É algo como o gato de Schrödinger, morto e vivo, ao mesmo tempo.

Esses estados quânticos são então compartilhados entre vários objetos. Os físicos têm experiência de partículas emaranhadas, como elétrons e fótons, bem como objetos maiores, como circuitos elétricos supercondutores.

Teoricamente, mesmo que os objetos emaranhados sejam separados, seus estados quânticos precários devem permanecer vinculados até que um deles seja alterado. Uma medida do estado de um deles determina instantaneamente o estado do outro objeto, não importa o quão longe ele está. É o que Albert Einstein chamou de “ação fantasmagórica à distância”.

Esta propriedade da ciência quântica pode ser usada para proteger a codificação de mensagens em longas distâncias.

Fonte: br.sputniknews.com

junho 21, 2017

Nenhum comentário

Cientistas investigam as múltiplas influências de energia entre as pessoas

É comum ouvirmos falar sobre o campo de energia, mas isso é restrito à mente de uma pessoa ou, de fato, existe fisicamente? (*Shutterstock)

É comum ouvirmos falar sobre o campo de energia, mas isso é restrito à mente de uma pessoa ou, de fato, existe fisicamente? (*Shutterstock))
O universo é cheio de mistérios que desafiam o nosso conhecimento atual. Em “Além da Ciência”,  coletamos histórias sobre alguns estranhos fenômenos para estimular a imaginação e abrir a mente para novas possibilidades. Elas são reais? Você decide.
O Dr. Imants Barušs analisa conceitos geralmente conhecidos por serem intangíveis ou espirituais. É comum ouvirmos falar sobre o campo de energia de uma pessoa, sobre a habilidade do campo de energia de uma pessoa influenciar o de outra pessoa e muitos outros fenômenos. Mas até onde isto é restrito à mente de uma pessoa e até onde isso, de fato, existe fisicamente?
O Dr. Imants Barušs, professor de psicologia da Universidade de Kings, afiliada à Universidade de Western Ontario, não responde de modo definitivo esta questão. Porém seu estudo recente pode trazer mais conteúdo para a resposta.  Ele é o coordenador e autor do artigo intitulado “Alterations of Consciousness at a Self-Development Seminar: A Matrix Energetics Seminar Survey” (Alterações da Consciência no Seminário de Desenvolvimento Próprio: Uma pesquisa da Matriz Energética), publicado em novembro de 2014, no Jornal da Pesquisa de Exploração da Consciência.
Neste artigo, ele reporta alguns experimentados relacionados ao poder da consciência.
Influência Remota
Nestes dois experimentos, Barušs direcionou seus pensamentos às pessoas de longe para ver se estas conseguiam sentir alguma coisa. Estes experimentos foram detalhados no capítulo três de seu livro “The Impossible Happens” (O Impossível Acontece), e foi novamente mencionado em outras passagens do livro. Ele focou nos efeitos que estes pensamentos tinham no que se refere à níveis de energia, se as pessoas se sentiam mais energizadas ou mais fatigadas do que o normal.
Ele testou 37 participantes, organizando os horários nos quais ele conduziria as sessões com eles via e-mail. Os participantes não podiam estar dirigindo nestes momentos, e deveriam monitorar seus sentimentos. Barušs jogou uma moeda no começo de cada sessão para determinar se iria, aleatoriamente, praticar a influência remota ou se não faria nada.
Ele também monitorou seu nível de concentração e “a profundidade do seu estado alterado de consciência”. Ao que pareceu, quando a profundidade de seu estado alterado foi maior, os participantes se sentiam mais cansados. O resultado foi uma grande probabilidade de que sua influência remota tenha ocasionado um efeito sobre os participantes (a sua conclusão foi de p < 0,05 , o que significa que a probabilidade da mudança no nível de energia ter ocorrido ao acaso é menor do que 5%, e sua influência, em outras palavras, tem mais de 95% de probabilidade de ter alterado seu estado de energia).
Os resultados devem ser tomados como um ponto de partida interessante, mas Barušs advertiu que os resultados podem mudar se mais pontos de comparação forem feitos.
Matriz Energética
A matriz energética é a prática na qual uma pessoa, alegadamente, afeta outra através de intenções. Barušs resumiu alguns efeitos, conforme detalhado por outro pesquisador, Jos Marlowe do Instituto de Psicologia Transpessoal: “Os participantes, por vezes, experimentam várias sensações somáticas, incluindo o sentimento de queda e que a realidade tenha se tornado mais ‘plástica’ para que eventos improváveis sejam mais prováveis de ocorrer, como a remissão espontânea de uma doença.”
“Todos estes eventos devem ser examinados cuidadosamente, e estamos tentando fazer isto neste estudo”, ele escreveu. Seus experimentos foram conduzidos em uma Conferência sobre a Matriz Energética na Filadélfia, Pensilvânia, em 2012. Este era o foco principal do estudo. Uma variedade de participantes, incluindo profissionais da saúde até engenheiros e frentistas foram envolvidos. Para a maioria, era a primeira vez que participavam em algo assim.
Barušs e sua equipe de pesquisadores pediram que os participantes preenchessem pesquisas antes do seminário e logo após a experiência. Depois de dois meses, preencheram novamente para analisar as alterações de curto e longo prazo na saúde física e mental. Ele utilizou alguns testes padrão de psicologia para ter acesso a seus estados mentais e emocionais. Ele também utilizou a “RAND 36-Item Health Survey”, uma medida padrão para a saúde psicológica e mental utilizada para pesquisas médicas.
De acordo com os resultados da pesquisa de acompanhamento, a saúde dos participantes melhorou a longo prazo. Novamente, entretanto, Barušs sugeriu que fossem cautelosos em interpretar os resultados. Ele disse que existiam muitas pessoas cuja saúde não havia melhorado e que poderiam não ter participado do questionário de acompanhamento. Também é possível que as pessoas que tiveram sua saúde normalizada podem ter tomado outras providências para melhorá-la, e que não tenha sido diretamente resultado da Matriz Energética.
“As alterações de consciência experimentadas no contexto da Matriz Energética devem ser investigadas a fundo”, ele escreve. Também pontuou que: “Para os propósitos deste estudo, nenhum esforço foi feito para distinguir ME (Matriz Energética) de outros fatores não específicos, tais como interações sociais com outros indivíduos influentes, sugestão, escutar um interlocutor carismático e demais fatores. Para separar estes fatores, deve-se separar os estudos.”
Seria hipnose?

Imagem conceitual de poder da mente (*Shutterstock)

Imagem conceitual de poder da mente (*Shutterstock)
Quando uma pessoa alegadamente influencia a outra de tal forma que levanta a questão, o que está acontecendo no nível do subconsciente? É similar à hipnose?
Os comportamentos durante a Matriz Energética são similares àqueles da hipnose, segundo Barušs. Ele explica que o comportamento de pessoas submetidas à cura em cultos pentecostais também podem ser incluídos nessa comparação. “O mecanismo para qualquer destes acontecimentos não é conhecido”.
A definição de hipnose geralmente utilizada pelos pesquisadores é muito vaga, de acordo com Barušs: “Os pesquisadores de hipnose não conseguem chegar a um consenso sobre sua definição. O mais perto que chegaram é que a hipnose é tudo aquilo que acontece em situações intituladas como hipnose.”
As pessoas que são muito suscetíveis à hipnose caem em algumas categorias: “a positiva, a fantasiosa e a da amnésia.”
No caso da Matriz Energética ou da influência remota, a pessoa pode ativamente decidir se quer ser influenciada, e neste caso ela pertence à categoria da “positiva”.
Barušs explicou que “hipnose não é a explicação para estes fenômenos, mas sim uma renomeação”, e uma pesquisa mais profunda deveria ser feita para descobrir a explicação.
Isto é parte de uma discussão que os pesquisadores tiveram antes do estudo. Eles não encontraram evidências ao longo do estudo de que a hipnose estava acontecendo no seminário, mas o estudo não foi desenhado especificamente para determinar isso. É verdade, disse Barušs, que o que acontece em seminários de Matriz Energética pode soar como a hipnose, mas um estudo mais aprofundado seria necessário para determinar a relação ou sobreposição entre a Matriz Energética e a hipnose.

A consciência poderia ser o fator oculto na equação quântica

 

Inovação (Shutterstock*)

Inovação (Shutterstock*)
O universo é cheio de mistérios que desafiam o nosso conhecimento atual. Em “Além da Ciência”, o Epoch Times coleta histórias sobre alguns estranhos fenômenos para estimular a imaginação e abrir a mente para novas possibilidades. Elas são reais? Você decide.
CALIFÓRNIA – O famoso experimento de física quântica, conhecido como o experimento da fenda dupla, forneceu, há décadas, evidências impactantes sobre a habilidade mental para controlar a matéria (veja o vídeo em inglês no final do artigo com uma simples ilustração do experimento).
Demonstrou-se que partículas atômicas também são ondas. O fato de se manifestarem como ondas ou como partículas dependia de se alguém estava olhando. A observação influenciou a realidade física das partículas. Em linguagem mais técnica, a observação colapsou o funcionamento da onda.
O físico austríaco Erwin Schrödinger inventou uma equação para mostrar as propriedades ondulatórias da matéria. Entretanto, a observação não está considerada nessa equação, nem em qualquer outra equação quântica, porque é subjetiva e não objetiva, explicou o engenheiro e físico Alan Ross Hugenot, na conferência de 2014 da Associação Internacional para Estudos de Quase-Morte (International Association for Near-Death Studies – IANDS), em Newport Beach, Califórnia, em 29 de agosto.
Hugenot tem doutorado de ciências em engenharia mecânica e uma carreira bem sucedida em engenharia marinha, servindo em comitês que escrevem normas de construção naval para os Estados Unidos. Estudou física e engenharia mecânica no Instituto de Tecnologia de Óregon. Hugenot falou sobre uma teoria que trata da questão da observação.
O Dr. Evan Harris Walker, um físico que trabalhava no Laboratório de Pesquisa de Balística do Exército, tentou incluir a observação na equação de Schrödinger. Em 2000, Walker descreveu duas variáveis ocultas. Uma é o canal da vontade e a outra é o canal da consciência, explicou Hugenot.
O canal da vontade, o que uma pessoa deseja, é positivo. O canal da consciência, o que está na mente de uma pessoa, é negativo, disse Hugenot. Um positivo e um negativo se anulam entre si, por isso, essas duas funções não aparecem nas equações. Mas, quando se juntam, colapsam o funcionamento da onda.
A maioria das pessoas têm muito em suas mentes, o que precisam apanhar no caminho de casa para o trabalho, que compromissos precisam cumprir, etc. Esses pensamentos no canal da consciência, frequentemente, bloqueiam o canal da vontade, disse Hugenot. A consciência e a vontade não estão sincronizadas. Mas, se estivessem, as pessoas poderiam materializar o que quisessem. Elas poderiam desejar coisas para que passassem a existir.
“Sua mente controla a matéria”, disse, definitivamente, Hugenot à multidão na conferência.
“Sei que vocês não sabem como fazer isso. Quantos são pianistas de concerto? Ninguém aqui é um pianista de concerto? Por que não? Porque não praticaram… Mas algumas pessoas são pianistas de concerto, não são? O que fizeram? Muitos fracassos, muito estudo, muito aprendizado para saber como fazer.”
“Estou trabalhando para ser um médium, para que eu possa aprender a fazer algumas dessas coisas”, disse. “Não me limito a nada”.

junho 20, 2017

Nenhum comentário

Pesquisadores anunciam avanço na redução do colesterol

Diretamente associado à aterosclerose, condição caracterizada pelo estreitamento das artérias, o colesterol alto é controlado com estatinas, que precisam ser tomadas diariamente. No ano passado, também foi aprovada no Brasil uma nova classe de medicamentos que tem a enzima PCSK9 como alvo. Essa substância dificulta a remoção do LDL, conhecido como “mau colesterol”, da corrente sanguínea. Contudo, enquanto os remédios convencionais têm a desvantagem do uso crônico, o que pode diminuir a adesão ao tratamento, os biológicos são de alto custo e têm a indicação específica para pessoas que não conseguem baixar as taxas mesmo com a dose máxima de estatina ou para os portadores de hipercolesterolemia primária. Por isso, a ciência corre atrás de uma vacina que, de forma duradoura, proteja o coração contra as perigosas placas de gordura.

Na edição desta terça-feira, 20, do Jornal Europeu do Coração, pesquisadores da Universidade de Viena e do Biocentro AFFiRis, também da capital austríaca, anunciaram os resultados de um estudo que se focou na PCSK9 para a redução de colesterol e aterosclerose com a abordagem da imunoterapia. Em um modelo de ratos alimentados com alto teor de gordura, eles testaram a vacina AT04A, que, aplicada sob a pele dos animais, desencadeou a produção de anticorpos que eliminaram a enzima da corrente sanguínea.
O resultado foi significativo: 53% de redução do colesterol, 64% de diminuição dos danos causados pela aterosclerose e menos 21% a 28% de marcadores de inflamação nas artérias, comparado  com ratos não imunizados. De acordo com o principal autor do estudo, Günther Staffler, desenvolvedor de novas tecnologias da AFFiRis, uma grande vantagem foi o tempo de duração do tratamento. Mesmo ao fim do estudo, os benefícios se mantinham. Staffler diz que, em humanos, a ideia seria uma dose da vacina ao ano, associada ao checape cardiológico regular (Leia entrevista nesta página). Com esse regime, o pesquisador defende que a imunização sairá mais barata que os medicamentos biológicos, que exigem ao menos duas aplicações subcutâneas mensais.
Staffler destaca que a redução dos níveis de colesterol total esteve diretamente associada à concentração dos anticorpos induzidos pela vacina, provando que a imunização foi responsável pela diminuição da aterosclerose. Ele explica que a enzima PCSK9 é produzida no fígado e bloqueia os receptores do colesterol LDL, reduzindo a capacidade do órgão de se livrar dessa substância maléfica. Quando injetada, a AT04A faz com que o corpo produza anticorpos que bloqueiam a função da PCSK9, de modo que a atividade dos receptores de colesterol LDL é aumentada.

Teste em humanos

“A forma como a AT04A é administrada compara-se a uma vacina”, explica Staffler. “Contudo, a diferença entre uma vacina convencional e nossa abordagem é que a vacina induz anticorpos específicos para proteínas virais ou bacterianas que são externas ao corpo — patógenos —, enquanto que a AT04 induz anticorpos contra uma proteína-alvo que é produzida pelo corpo — proteína endógena. Isso é realmente uma abordagem imunoterapêutica, mais que uma vacinação”, diferencia.
De acordo com ele, já está em curso um estudo clínico (com humanos) de fase 1, desde 2015, conduzido pela Universidade de Viena. A pesquisa, cujos resultados devem sair até o fim do próximo ano e inclui 72 pessoas saudáveis, investiga se a AT04A e outra molécula, a AT06A, são seguras.
Em um editorial que acompanha o artigo, o professor Ulrich Laufs, da Universidade de Saarland, na Alemanha, e o professor Brian Ference, da Universidade de Bristol, no Reino Unido, escreveram que a abordagem parece promissora. “Contudo, a segurança, a resposta em humanos e o muito importante e ainda desconhecido efeito imune a longo prazo devem ser adereçados cuidadosamente durante o curso do desenvolvimento clínico”, ponderaram.
De acordo com os acadêmicos, um dos efeitos das estatinas a longo prazo é o aumento nos novos casos de diabetes. “Portanto, uma preocupação em potencial sobre a segurança de uma vacina que reduza o LDL é um aumento do risco de novos casos de diabetes. Em curto prazo, o efeito das estatinas e o dos inibidores da PCS9 parecem superar amplamente esse risco”, concluíram.

junho 16, 2017

Nenhum comentário

Humanidade tem 100 anos para mudar de planeta, segundo Stephen Hawking

Foto: internet

Foto: internet

O físico teórico Stephen Hawking tem defendido há tempos que os humanos precisam colonizar um novo planeta – e rápido. Agora, ele argumenta que precisamos fazer isso em 100 anos para manter a espécie viva, relata artigo da Time.

Ele deve sustentar sua ideia em um programa da BBC que vai ao ar nos próximos meses, chamado Stephen Hawking: Expedition New Earth. No passado, ele afirmou que a chance de um desastre na Terra aumenta com o tempo, então há “quase certeza” de que um evento de grande magnitude acontecerá nos próximos mil ou dez mil anos. Segundo ele, a humanidade só vai sobreviver se emigrar para outro planeta .

“Com as mudanças climáticas, a demora de uma colisão de asteroide, epidemias e crescimento populacional, nosso planeta está ficando precário”, afirmou a BBC, em peça de divulgação para o programa. “A ambição do professor Hawking não é tão fantástica quanto pode parecer”, diz a emissora.

Fonte: epocanegocios.globo.com

junho 13, 2017

Nenhum comentário

Casamento eleva sobrevida de cardíacos e diabéticos, indica estudo

O casamento parece fazer bem para a saúde de pessoas com risco de sofrer doenças cardíacas. Uma pesquisa sugere que os casais têm um apoio social maior, o que os leva a buscar um estilo de vida mais saudável e aderir melhor à medicação.

O estudo foi apresentado na conferência da Sociedade Cardiovascular Britânica, em Manchester, no Reino Unido. Ele analisou dados de saúde de quase um milhão de britânicos por mais de uma década.

E mostrou que, entre os que têm fatores de risco cardíaco – colesterol alto, hipertensão, diabetes tipo 2 -, os solteiros têm uma taxa de mortalidade maior do que os casados.

Felicidade conjugal?

Paul Carter e seus colegas da Escola Médica da Universidade de Aston já tinham mostrado em estudos anteriores que o casamento aumenta as chances de sobreviver a um ataque cardíaco.

Sua mais recente pesquisa indica razões para isso: eles suspeitam que o casamento ajuda a amortecer fatores de risco de doenças cardíacas, incluindo colesterol alto e hipertensão.

Homens e mulheres por volta dos 50, 60 e 70 anos com colesterol alto eram 16% mais propensos a estarem vivos ao final dos 14 anos de estudo se eram casados. A mesma tendência se verificou nas pessoas com diabetes tipo 2 e hipertensão.

A situação era menos clara para pessoas que vivem juntas sem serem casadas, além de divorciadas e viúvas. Os pesquisadores também não analisaram se as pessoas casadas estavam em casamentos felizes.

Eles suspeitam que o casamento traz efeitos “protetores”, e que estes resultam no que chamaram de “apoio social maior” que ajuda na busca por “um estilo de vida saudável e melhor adesão a medicações”.

“Precisamos entender melhor essas razões, mas parece que existe algo em estar casado que é protetor, não apenas em pacientes com doenças do coração, mas também as que têm fatores de risco para as enfermidades”, disse Carter.

“No entanto, não estamos dizendo que todos deveriam se casar. Precisamos replicar os efeitos positivos do casamento sobre a rede social (de solteiros) que tem base em família e amigos”, acrescenta.

Para Mike Knapton, diretor médico associado da Fundação Britânica do Coração, que não teve relação com o estudo, “a mensagem que fica é que nossas interações sociais são determinantes importantes de saúde e bem-estar naqueles que têm fatores de risco como pressão alta”.

“Independente de ser casado ou não, você pode apelar para os que você ama para ajudá-lo em lidar com os fatores de risco para doenças cardíacas”, acrescenta.

Fatores de risco cardíaco:

  • fumar
  • pressão alta
  • colesterol alto
  • diabetes
  • estar acima do peso/obeso
  • sedentarismo
  • histórico familiar de doença cardíaca
  • idade (o risco aumenta com o envelhecimento)

 

Fonte: bbc.com

junho 9, 2017

1 comentário

Viver em fé altera a realidade!

Jesus ensinou aos Seus discípulos mais íntimos que viver com fé alteraria a realidade. Ele ensinou que o ser humano não é vítima de um universo predefinido e também não está preso a situações predefinidas, mas que dá forma ao mundo em que vive. Você consegue perceber o poder transformador disso? Pare para pensar nas pessoas que se sentem impotentes para mudar suas realidades. Já houve algum momento em que você se sentiu uma vítima do destino? Caso sim, desenvolva a sua fé. Ela libertará o poder que você tem dentro de si.

O discípulo Paulo também falou sobre a fé. Disse que ela é a maravilha da certeza e não apenas da esperança. Na verdade, a fé atua na esperança, fortalecendo-a. Por exemplo: temos a esperança de terminar a faculdade, de conseguir um bom emprego, ou de ter um casamento feliz. Quando essa esperança é permeada pela certeza, ela se torna fé e deixa de ser apenas uma crença vaga de que algo, um dia, poderá acontecer. Ter esperança não é apenas esperar, mas esperar com ação, mobilizando a energia que vem de dentro de nós. A energia da transformação.

O autor de Hebreus avançou ainda mais quando declarou que a fé é a “convicção das coisas que não se veem”. Essa frase também nos faz pensar na dimensão metafísica da fé, pois por meio dela podemos adentrar o mundo imaterial, espiritual. Podemos ter certeza deste mundo que não é visto, mas que é real. A fé nos leva além de nossos cinco sentidos, que só percebem como real aquilo que conseguem captar. Ela permite que tenhamos uma conexão profunda com Deus.

junho 6, 2017

Nenhum comentário

Cientistas descobrem planeta mais quente já encontrado, com 4,3 mil ºC

Um exoplaneta gigante – fora do Sistema Solar – é o mais quente relatado até agora, de acordo com descoberta publicada pela revista “Nature” nesta segunda-feira (5). Ele tem uma temperatura estimada em 4.600 kelvin, ou 4.327 ºC.

Scott Gaudí, da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, com a ajuda de colegas, relatou que o exoplaneta é chamado de KELT-9b, e ele orbita uma estrela maciça chamada KELT-9. Essa estrela tem uma temperatura estimada em 10.170 Kelvin, ou 9.896 ºC. Esse calor é irradiado para o planeta ao redor, com um nível de radiação estelar ultravioleta tão alto que atmosfera está sendo removida.

Outros milhares de exoplanetas são conhecidos, mas apenas seis foram encontrados na órbita de estrelas quentes do tipo A – com temperaturas de 7.300 até 10.000 Kelvin -, mas nenhum havia até então chegado à categoria B, superior a 10.000 Kelvin. O planeta mais quente encontrado até agora tinha temperatura de 3.300 Kelvin, ou 3.026 ºC, e estava ao redor de uma estrela de 7.430 Kelvin, ou 7.156 ºC.

A pesquisa contou com autores da Austrália, Dinamarca, Alemanha, Itália, Japão, Portugal e Estados Unidos.

Fonte: g1.globo.com

junho 2, 2017

Nenhum comentário

Cientistas questionam a origem da vida e comprovam existência de um ser superior

Uma nova linha de pesquisa, conhecida como design inteligente, acredita que a complexidade da vida e a perfeição da natureza comprovam a existência de um ser superior. No núcleo de pesquisa em Ciência, Fé e Sociedade, recém-inaugurado por uma das maiores universidades de São Paulo, em parceria com instituições americanas, estudiosos descartam a criação do mundo com um simples acaso e analisam códigos genéticos como uma espécie de ‘assinatura de Deus’.

Confira a matéria completa em
http://noticias.r7.com/domingo-espetacular/videos/cientistas-questionam-a-origem-da-vida-e-comprovam-existencia-de-um-ser-superior-14052017

Fonte: r7.com.br